Projeto Vida Literária em Suzano distribui livros para estudantes

Os autores do livro “Nocaute”, os jornalistas Anderson Fernandes e Débora Kaoru, idealizadores do projeto Vida Literária em Suzano, realizarão no próximo dia 11 de outubro atividade com os estudantes do programa Educação de Jovens e Adultos das escolas municipais Professora Célia Pereira de Lima e Mércia Amaral Andrade de Brito. Essa será a primeira ação do projeto, que contemplará outras cinco unidades de ensino ainda no mês de outubro.

“Vamos ministrar palestra sobre a importância da leitura para formação cultural e educacional e no fim da atividade distribuir livros, contemplando aproximadamente 250 pessoas. A ideia é começar o projeto por Suzano, porém, futuramente, também levá-lo para outras cidades”, comentou Fernandes, que explicou que os livros foram enviados pelas editoras Litteris e Valentina e por pessoas de diversas regiões do Brasil, após uma campanha de arrecadação feita pela Internet.

A finalidade do projeto

Débora acrescenta que o objetivo do projeto Vida Literária é promover a leitura. “A realidade brasileira mostra que o acesso de grande parte da população aos livros é muito restrito, por isso a iniciativa de oferecer livros gratuitamente é algo muito positivo. Estamos satisfeitos com esta ação e esperemos conquistar novos leitores”, completou a jornalista.

Entre os livros que serão distribuídos nas escolas estão “Morte súbita”, de J.K.Rowling, “Campo dos Milagres”, de Hannah Luce, “O Teorema Katherine”, de John Green, “Extraordinário”, de R. J. Palácio, “Sherlock: um estudo em vermelho”, de Arthur Conan Doyle, “O príncipe e o mendigo”, de Mark Twain, “Caetés”, o primeiro romance do escritor brasileiro Graciliano Ramos, “Mentes tranquilas, almas felizes”, de Joyce Meyer, “Como fazer tudo melhor”, “Homens que não conseguem amar”, de Steven Carter & Julia Sokol, “Fortaleza Digital”, de Dan Brown, entre muitos outros títulos e autores.

De acordo com Fernandes, a arrecadação dos livros pela Internet complementa o financiamento coletivo (https://www.catarse.me/projeto_vida_literaria_092a?ref=project_link) que está em andamento para realização do projeto Vida Literária  e é uma forma de contemplar um número maior de estudantes.

A Educação no País

“Me preocupo com a situação da Educação no País, a cada dia registrando índices negativos. E estou cansando de reclamar que o sistema educacional do Brasil tem problemas, que falta estrutura às escolas, que falta interesse dos alunos, que os professores precisam de uma melhor remuneração. Tudo isso é verdade? Sim! Mas não vou mudar isso sozinho. Então resolvi parar de lamentar e ajudar como posso, dentro da minha área e com as ferramentas que tenho à disposição”, completou Fernandes.

Os jornalistas Anderson Fernandes e Débora Kaoru, idealizadores do projeto Vida Literária em Suzano, realizarão atividades com os estudantes municipais.
Os jornalistas Anderson Fernandes e Débora Kaoru, idealizadores do projeto Vida Literária em Suzano, realizarão atividades com os estudantes municipais.

Incentivo à leitura
Visando facilitar a formação de novos leitores e incentivar o hábito da leitura, os autores de “Nocaute” já disponibilizaram de 4 a 8 de junho o ebook do livro gratuitamente no site da Amazon (www.amazon.com.br). A obra, desde o lançando no início deste ano, tem gerado comentários positivos. Sites e blogs especializados em literatura têm elogiado a forma como a publicação conduz o debate sobre maioridade penal.

O livro “Nocaute” conta a história de Antônio Silva, Pitbull, que ainda na infância enfrenta a morte dos pais e acaba sendo direcionado para um orfanato e após alguns crimes, para uma unidade de internação de menores. Neste local, o menino conhece o casal Marcos e Cláudia, que o ensinam o sentindo da vida, por meio da educação e do esporte.

Debates

De acordo com Fernandes, o livro, além da redução da maioridade penal, debate outros temas como o ECA, suicídio, importância da leitura, uma doença rara chamada Machado Joseph e principalmente a importância de buscar a superação frente aos problemas cotidianos. “Em uma sociedade marcada pela extrema desigualdade social, as populações pobres e negras são as mais vulneráveis às violações de direitos humanos, sendo que as mais graves violações se dão justamente na infância e adolescência e que resultam em consequências muitas vezes irreversíveis. Mesmo sendo um romance, apresentamos o debate desta situação no livro”, afirma.

A autora Débora Kaoru acrescenta que o livro também passa mensagens positivas. “Apesar de trazer a discussão da maioridade penal, nosso livro aborda diversos outros assuntos e acredito que um dos principais seja como buscar a superação frente aos problemas cotidianos. O desafio foi tentar transmitir a mensagem de que as pessoas devem se manter fiéis ao que realmente acreditam”.

Rádio Helix